#Juntos Contra o COVID-19

Com o compromisso de contribuir com a sociedade neste momento de crise mundial, criamos esta página para compartilhar informações importantes sobre a prevenção do Covid-19 e as orientações dos órgãos competentes: Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde, a OMS.

Abaixo, compilamos algumas perguntas
e as respostas dos órgãos responsáveis.

O novo Coronavírus é um vírus que causa a doença COVID-19. Ele faz parte de uma família viral, conhecida desde os anos 80, que provoca infecções respiratórias em humanos e animais.

Como nunca tivemos contato com o vírus antes, não temos imunidade. Nos casos mais leves parece um resfriado comum ou gripe leve, porém, pode até causar infecção pulmonar.

Não vá para unidades hospitalares ou de urgência e emergência. No momento, o protocolo do Ministério da Saúde indica que essas unidades priorizem atendimentos a casos graves. Com estes sintomas você não estará classificado para realizar o teste de confirmação de coronavírus. Portanto, não fará o exame e estará em uma área de maior chance de contaminação. A orientação é buscar atendimento ou, ao menos, contato com seu médico pessoal e fazer o tratamento em casa.

Em geral, a recomendação é hidratar-se bastante, ter uma alimentação saudável, repousar e ficar em isolamento domiciliar. É muito importante que você evite contato com outras pessoas, especialmente idosos e doentes crônicos, para não propagar o vírus caso realmente esteja infectado.

Como ainda não existe vacina e o tratamento é sintomático, na grande maioria dos casos, o diagnóstico através do exame específico nesse estágio de circulação do vírus não mudará o tratamento. Portanto, siga as orientações do seu médico e permaneça em casa.

Se você se enquadrar nas opções de quadros descritos a seguir:
Casos suspeitos:

• Se você retornou de viagem internacional de qualquer país nos últimos 14 dias e apresente febre e algum sintoma respiratório (*tosse, dificuldade para respirar, produção de escarro, congestão nasal ou conjuntiva, dificuldade para deglutir, dor de garganta, coriza e dispneia);

• Se você teve, nos últimos 14 dias, contato próximo com pessoas com caso suspeito ou com confirmação de coronavírus e apresentar febre ou algum sintoma respiratório(*).

Casos prováveis:

• Se você reside ou trabalha no domicílio de caso suspeito ou confirmado nos últimos 14 dias e apresente febre ou pelo menos algum sintoma respiratório (*) ou outro sintoma inespecífico como fadiga, mialgia/artralgia, dor de cabeça, calafrios, gânglios linfáticos aumentados, diarreia, náusea, vômito, desidratação e inapetência.

De acordo com o Ministério da Saúde, todos os procedimentos eletivos estão adiados, desde que não haja prejuízo à saúde das pessoas. Consulte seu médico para entender o seu caso, mas neste momento, os leitos cirúrgicos e hospitalares serão priorizados para os casos graves de coronavírus.

• Cubra o nariz e a boca ao tossir ou espirrar, de preferência usando lenço descartável. Na ausência de lenço, use a região interna do cotovelo para abafar a tosse/espirro;

• Evite tocar seu rosto, especialmente olhos, nariz e boca, sem ter higienizado as mãos, pois essa é uma das formas do vírus penetrar no organismo;

• Evite contato com pessoas que apresentem sintomas de infecções respiratórias, pois podem estar com covid-19 sem saber;

• Evite aglomerações ou ambientes fechados, pois a transmissão do vírus é facilitada pela proximidade;

• Intercale as cadeiras no refeitório, respeitando a distância de 1,5 metro e não coloque objetos como EPIs ou celulares em cima das mesas;

• Não compartilhe objetos pessoais, como talheres, copos, garrafas ou EPIs, pois eles podem estar contaminados com o vírus;

• Mantenha os ambientes bem ventilados, pois isso diminui o risco de transmissão.

• Pessoas que apresentam os sintomas;

• Pessoas que tenham coronavírus;

• Profissionais da área da saúde;

• Pessoas que estão cuidando de alguém com sintomas da doença.
As máscaras são eficazes somente quando usadas em combinação com a limpeza frequente das mãos com água e sabão ou higienizadas com álcool em gel 70%. A OMS recomenda o uso de máscaras nos casos específicos citados acima. E, depois, procurar um médico. “Se não tem esses sintomas não deve usar máscara pois não há evidência de que protege as pessoas que não estão doentes” Adverte.

A orientação no momento é que não. O isolamento e distanciamento sociais são fundamentais nessa fase de tentativa de contenção do vírus e, portanto, todas as atividades que não sejam essenciais, inclusive consultas e exames, devem ser postergadas. A própria ANS, agência que regula o sistema de saúde suplementar, faz essa recomendação.

Ainda não, mas vários países, como Rússia, China e Estados Unidos, já pesquisam uma vacina contra coronavírus. A expectativa da comunidade científica é que os primeiros testes comecem em breve.

Os cientistas ainda não têm essa resposta. Há notícia de um caso de reinfecção no Japão: uma mulher pegou o novo coronavírus por duas vezes. O mais provável é que, após a infecção, a maioria das pessoas criem imunidade contra o coronavírus.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou que pessoas com sintomas do novo coronavírus não usem ibuprofeno para aliviá-los. Paralelamente, as autoridades francesas alertaram que os medicamentos anti-inflamatórios poderiam piorar os efeitos da covid-19. O estudo publicado recentemente pela The Lancet mostra a hipótese de que uma enzima estimulada pelo ibuprofeno e outras drogas semelhantes pode facilitar e piorar as infecções por vírus. Entre os medicamentos mais comuns com a substância estão: Alivium, Advil, Buscopan e Buscofem.

Idosos a partir de 60 anos e portadores de doenças crônicas, como e diabetes.

No caso da hipertensão, a pessoa só se caracteriza como no grupo de risco se não tiver a doença controlada.

Algumas pessoas infectadas pelo vírus podem não apresentar sintomas ou apresentar sintomas discretos. A maioria das pessoas infectadas (cerca de 80%) se recupera da doença sem precisar de tratamento especial. Cerca de uma em cada seis pessoas com COVID-19 pode desenvolver a doença em sua forma mais grave.Pessoas idosas e/ou com outras doenças associadas como por exemplo: pressão alta, problemas cardíacos, diabetes e pessoas em tratamento para câncer, têm maior probabilidade de desenvolver doença respiratória grave.

Coronavírus no Brasil:

Diariamente, o Ministério da Saúde atualiza a quantidade de casos confirmados da COVID-19, no mundo e no Brasil. Os dados estão disponíveis na Plataforma Integrada de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (IVIS).Essa plataforma contém informações consolidadas e atualizadas pelos municípios, estados e pelos dados da OMS, incluindo a lista de países com transmissão local. Buscar informação em fontes confiáveis é muito importante!

Diga não a #fakenews

Diga não a #fakenews

Para combater as falsas notícias sobre saúde, o Ministério da Saúde está disponibilizando um número de WhatsApp para envio de mensagens da população. O canal será um espaço exclusivo para receber informações virais, que serão apuradas pelas áreas técnicas e respondidas oficialmente se são verdade ou mentira.

Qualquer cidadão poderá enviar gratuitamente mensagens com imagens ou textos que tenha recebido nas redes sociais para confirmar se a informação procede, antes de continuar compartilhando.

Na Mills Solaris implementamos diversas ações para preservar a saúde e segurança dos nossos colaboradores como prioridade.

  • Criamos o Comitê Multifuncional Covid-19, que está atuando na definição de medidas, políticas e protocolos em toda a Companhia;
  • Intensificamos nossas comunicações sobre o tema, distribuindo conteúdo para todos os nossos públicos: colaboradores, clientes, fornecedores e familiares;
  • Ampliamos o protocolo de limpeza e higienização de todas as estações e objetos de trabalho;
  • Distribuímos dispositivos de álcool gel em todas as instalações da Companhia;
  • Alteramos o formato dos treinamentos internos para online. Nas modalidades onde não é possível, fizemos o adiamento;
  • Cancelamos os eventos internos;
  • Cancelamos todas as viagens internacionais e nacionais;
  • Implementamos protocolo de saúde para a entrada em nossas filiais;
  • Implementamos home-office para aproximadamente 70% dos nossos colaboradores, os demais, devido ao suporte às indústrias e serviços essenciais, trabalhando em nossas filiais em horários alternativos ou com base em suas residências para realizar o atendimento de campo;
  • Durante os treinamentos de operação para plataforma aérea, os instrutores utilizam, além dos EPI’s já definidos pela área de SSMA, máscaras de proteção individual, óculos de segurança, luvas compostas de suporte têxtil em nylon com banho de borracha nitrílica, macacão microgard 1500 ou Tyvec Dupont. Os treinandos, também recebem as máscaras PFF2, Luvas de PVC e Óculos de proteção;
  • Antecipamos as férias para jovens aprendizes, estagiários universitários e estagiários técnicos.

Confira abaixo alguns vídeos com dicas de prevenção que você pode baixar e também compartilhar com seus familiares e amigos.

Dicas de Prevenção

Clique aqui para fazer o download do vídeo acima e compartilhar com seus amigos e familiares.

Dicas para tratar o tema com as crianças

Para fazer o download do vídeo acima, clique aqui e compartilhe com seus amigos e familiares.